segunda-feira, 29 de junho de 2015

TRABALHO INTERDISCIPLINAR

Memórias, Anne Frank, II Guerra Mundial

     A frieza da Sociedade tem preocupado muito nos dias de hoje e poucos sabem ao certo o que fazer para resgatar valores que foram deixados de lado em algum momento da vida.
    Assuntos relacionados à II Guerra Mundial são sempre foco de discussão e dúvidas, pois mexem com o pensamento de todos e levam o leitor ou ouvinte a um mundo em que na maioria das vezes é conhecido apenas por filmes ou pelo que a mídia passa, e muitas vezes oculta a real causa e verdade dos fatos.

Projeção de slide para apresentar a proposta
do trabalho interdisciplinar.
     Diante dos acontecimentos atuais da sociedade, os professores Diego André Fiore da Silva (Professor de Língua Portuguesa) e Iraci Maciel (Professora de História) pensaram de forma interdisciplinar  em realizar um estudo com os alunos das turmas 81 e 82. "Procuramos realizar um trabalho que envolvesse a II Guerra Mundial e os relatos de memórias conhecidos na atualidade por motivo da Guerra, como o Diário de Anne Frank", diz o professor Diego.


     Nas aulas de Língua Portuguesa os estudantes compreenderam as formas de como uma pessoa pode relatar suas memórias, conheceram a história de Anne Frank, com documentário e filme, visualizaram uma moeda nazista de 1942 para se aproximar daquela realidade, e debateram esse assunto entre si.

Foto de Anne Frank na exposição do trabalho.

    Com todas as informações claras e com as dúvidas respondidas, chegou o momento das produções dos alunos. A produção de textos, foi coordenada pelo professor Diego e ocorreu em pequenos grupos.  "Está atividade fez com que os estudantes tivessem a liberdade de criar um texto crítico sobre a II Guerra Mundial. O preconceito e a discriminação, as guerras e os problemas que a sociedade atual enfrenta. A produção dos trabalhos foi positiva, pois houve empenho e participação de todos os alunos", pontua o professor. 

TRABALHOS DESTAQUES DE CADA TURMA :

Memórias, Anne Frank, II Guerra Mundial

     A Segunda Guerra Mundial foi um conflito envolvendo quase todos os países do mundo, tendo início em 1939 e chegou ao fim no ano de 1945.
     Os discriminados eram os judeus, deficientes físicos, ciganos e homossexuais, mas principalmente os judeus por motivo de sua religião. Todos eles eram levados para campos de concentração onde eram obrigados a trabalhar, passavam fome e adoeciam. Podemos citar o exemplo de Anne Frank, que foi a autora do diário mais conhecido do mundo, ela era judia e por isso teve que ficar escondida em um sótão com sua família e outras pessoas. Eles permaneceram escondidos durante dois anos até que foram encontrados por soldados e levados para campos de concentração diferentes.
     Hoje em dia não temos nenhuma guerra declarada entre países, porém temos outros tipos de guerra, por exemplo, as doenças (dengue, câncer, HIV, H1N1...), também temos guerra contra a violência, drogas, preconceito, fome, pobreza, etc.
     Na nossa sociedade atual, ainda temos muitas formas de discriminação, como a religião, a cor da pele, opção sexual, classes mais baixas...
    Podemos combater a discriminação tendo nossas mentes mais abertas, pois somos todos iguais, mas com ideias diferentes.
    Pensamos que este trabalho foi muito educativo e concluímos que guerra não leva a nada, só a morte e tristeza.
     Então vamos amar as pessoas como se não houvesse amanhã.
Autoras: Gabrielly Ramalho, Juliana Debus, Samanta Machado (Turma 82)


Produções de textos criadas a partir da realização
 das pesquisas históricas na internet.



Memórias, Anne Frank, II Guerra Mundial

      A Segunda Guerra Mundial teve início no ano de 1939. A principal causa foi por que os alemães queriam eliminar todos os judeus da face da Terra. Qualquer pessoa que tivesse um parentesco com um judeu seria levado para um campo de concentração para ser morto.
     Havia muita discriminação naquele tempo, principalmente com quem era judeu. A família de Anne Frank foi vítima dessa discriminação, porém eles tinham amigos com quem podiam contar. Eles se esconderam por dois anos, mas infelizmente os soldados nazistas os encontraram e os levaram para o campo de concentração.
     Hoje em dia temos algumas “guerras”, as pessoas lutam contra as doenças, por exemplo, a AIDS, o câncer, etc. Mas também há pessoas que lutam pelos seus direitos, direito a um bom emprego, a uma boa saúde e educação.
    Nos dias de hoje existem muitas formas de discriminação, umas por classe social, cor, religião, sexualidade ou até pelo seu lugar de origem. As pessoas discriminam as outras por que se acham superiores a elas, mas na verdade ninguém é melhor ou pior que alguém.
    Se todo mundo colaborar ou ignorar seu racismo e seu preconceito, podemos muito bem combater a discriminação. Não custa nada deixarmos o nosso orgulho de lado e aceitar as pessoas como elas são independente de sua cor, etnia, classe social ou religião.
    Nós consideramos tudo o que escrevemos anteriormente como uma lição de moral, para que nós possamos refletir e começarmos a agir e pensar diferente diante das pessoas diferentes de nós.
Autoras: Andressa B. dos Santos, Caroline de Oliveira Ribas (Turma 81)


     Já nas aulas de História, com a utilização dos UCAs, os alunos  desenvolveram uma pesquisa sobre o que foi a II Guerra Mundial.  "Com intuito de tornar os alunos pesquisadores e críticos, trabalhamos os resultados da pesquisa para uma explicação com exposições de ideias, opiniões e argumentos, fazendo uma comparação com a sociedade atual em que cada educando vive", comenta a professora Iraci Maciel.

Cartazes com temas sobre preconceito,  racismo e discriminação.

Criatividade e a preocupação dos alunos com a
mensagem que gostariam de passar.

      Sob coordenação da Professora Iraci, as duas turmas desenvolveram cartazes com temas sobre o preconceito, o racismo e a discriminação. A forma desenvolvida, a criatividade e a preocupação dos alunos com a mensagem que gostariam de passar foi reconhecida pelos professores e valorizada. Em meio aos desenhos e escritas, a professora de história, coordenava e relacionava elementos históricos da Guerra contextualizando com a realidade, tornando o momento uma imersão de conhecimento e troca de experiências.


O aprofundamento da língua de Anne Frank
também fez parte das aulas.
     Ao término dos cartazes, os alunos contribuíram com os professores na exposição dos trabalhos. Houve a preocupação em deixar claros os objetivos que eram sobre a discriminação e o preconceito. Para a Professora Iraci, os objetivos foram todos alcançados, "Conseguimos por meio interdisciplinar trabalhar o preconceito e a discriminação exemplificando a II Guerra Mundial. Como um dos propósito em História é formar alunos pesquisadores, acredito que com o auxilio dos laptops (UCAs) conseguimos orientar e desenvolver uma pesquisa significativa", comenta a educadora.


Painel confeccionado pelos alunos.

    O Professor Diego avalia como válido o trabalho e seus resultados, "Ao mesmo tempo em que conseguimos trabalhar textos e o proposto curricular, houve a interação e a amizade com os alunos, pois trabalhos com essa metodologia aproximam mais professores e estudantes. Não custa nada mudarmos nossos hábitos e condutas para tornar nossa escola um local em que possamos sempre aprender os bons valores, com as trocas de experiências e com construção de amizade", conclui o professor. 


Alunos do 8º ano com as produções da turma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário