terça-feira, 18 de novembro de 2014

TRABALHO COM VITRAIS

A LEVEZA DOS VITRAIS

"As janelas envidraçadas que estão nas igrejas e pelas quais se transmite a claridade do sol, significam as Santas Escrituras, que afastam de nós o mal, enquanto nos iluminam".
               (Pierre de Roissy, chanceler da Catedral de Chartres)

Catedral de Chartres teve a sua construção iniciada em 1145.
 No total, o edifício conta com mais de 150 janelas medievais com vitrais
a maioria delas do século XIII, que proporcionam um magnífico efeito
 luminoso ao interior do templo.


    Com o intuito de conhecer um pouco mais da cultura universal e trabalhar com a técnica do trabalho com vitrais, a professora de Arte, Eliane Costa Curta, desenvolveu com os alunos do 7º ano da E.B.M. Padre José Anchieta o projeto "A LEVEZA DOS VITRAIS". "Como vitral é um desenho elaborado com pedaços pequenos de vidro ou algum outro material semelhante (plastico, acrílico), optei em trabalhar com meus alunos, com papel celofane", diz a professora.



     Tendo florecido na Europa durante a Idade Média, os vitrais foram amplamente utilizados na ornamentação de igrejas e catedrais. O efeito da luz do Sol que eles penetravam, conferia uma maior imponência e espiritualidade ao ambiente. "Nessa época, a grande estatura das igrejas exigia que enormes janelas de vidro resolvessem os problemas com a iluminação. As janelas eram compostas com imagens, em sua maioria contendo cenas religiosas. Uma das características mais importantes dos vitrais é a variedade de cores", explica a professora Eliane.



     A professora comenta que apesar da arte dos vitrais ter sido desenvolvido durante a Idade Média, conseguiu torna-la atual e significativa para ser trabalhado em sala de aula."O envolvimento dos alunos na realização dos vitrais foi interessante. Durante a realização de pesquisa na internet, eles perceberam que apesar de ser uma arte antiga, esse tipo de arte é ainda muito valorizada pelos artesãos que utilizam para dar beleza às suas obras de arte'.


    Além de trabalhar o conteúdo curricular da disciplina de Arte estabelecido para o 7º ano, para desenvolver os vitrais os alunos tiveram que buscar conhecer um pouco mais sobre noções de formas geométricas e cores.





segunda-feira, 17 de novembro de 2014

LUDICIDADE, RECREAÇÃO E MOVIMENTO

CONHECIMENTO E CONTROLE CORPORAL A PARTIR DA PRÁTICA DOS ESPORTES

Mônica Araújo de Freitas, atleta chapecoense
campeã no salto em altura do "Trofeu Brasil 2014".

    Com o intuito de oportunizar o contato e a vivencia com a modalidade de atletismo, o professor de Educação Física, Jeferson Rodrigues de Oliveira, durante o 4° bimestre do ano letivo de 2014, na EBM Padre José Anchieta, está desenvolvido o projeto de Educação Física "CONHECIMENTOS E CONTROLE CORPORAL A PARTIR DA PRÁTICA DOS ESPORTES", com enfoque na modalidade de Atletismo. Diferentes jogos e brincadeira possibilitam os alunos a experimentar o se movimentar de uma forma lúdica e recreativa.

Prática do Salto em Altura.

   O salto em altura e com vara foram trabalhados com a utilização de cones, madeiras, cordas e colchonetes. No primeiro momento os alunos saltaram livremente, da maneira que eles achavam mais apropriado, no segundo momento houve a intervenção do professor com ensino da técnica do salto “ tesoura”, e a técnica de corrida para o salto, com impulsão em uma perna só.


Alunos aprimorando a técnica do salto em altura.

  Para o profissional da área, o objetivo principal do projeto não é trabalhar o atletismo para formar atletas de rendimentos e sim divulgar a modalidade para as crianças. "Quando meu aluno conhece alguns elementos do atletismo como modalidade esportiva olímpica, ele consegue refletir sobre a questão do gênero nas modalidades esportivas. Dessa forma, consegue interagir melhor, até mesmo quando acompanha alguma modalidade pela televisão", diz Jeferson.

Alunos superando limites e dificuldades.
Os Conteúdos desenvolvidos durante as aulas foram: conceituação do atletismo; jogos e situações próximas às da modalidade oficial; minicompetição oficial e as diferenças de gênero. "Pude perceber durante o desenvolvimento das atividades, que os alunos superaram limites e dificuldades de movimento ampliando suas possibilidades e conhecimentos da cultura corporal de movimento", comenta o professor.



Aceitando sugestão dos próprios alunos, como por exemplo atletismo no vídeo game (X-BOX), estão sendo realizadas diversas atividades, que envolvem a corrida e movimentos básicos. "Todos participam com êxito e satisfação". aponta Jeferson.

Interação virtual.
Jogos sobre atletismo no vídeo game é movimento garantido.

Durante as aulas, os alunos participaram de diferentes brincadeiras envolvendo corridas individuais e coletivas, jogos competitivos e cooperativos e que repercutiram na melhorias das capacidades motoras envolvidas no correr. "Ao fim de cada aula, o momento de conversa e reflexão faz com que o aluno compreenda o que foi praticado. Uma vez que correr é um dos movimentos básicos enfocados nesse esporte", exlipica  Jeferson. 


Martelo confeccionado pelos alunos.
Materiais utilizado: jornal e barbante.

O lançar e arremessar são trabalhados com a utilização do martelo e peso. Os próprios alunos construíram os equipamentos, com jornais, barbantes e fitas adesivas. "A confecção dos equipamentos pelos alunos foi interessante, pois eles puderam perceber que materiais alternativos podem oferecer possibilidades de movimentos. Desmistifiquei dessa forma, aquela ideia de que é necessário ter  materiais convencionais utilizados na prática do atletismo, como o peso, o disco e o martelo", conclui o educador. 


Professor Jeferson Rodrigues de Oliveira orientando
 o aluno Weslei Stédile.


sexta-feira, 31 de outubro de 2014

HISTÓRIA DA CHINA ANTIGA

REPRESENTAÇÃO DA HISTÓRIA EM MAQUETES


Imagem da China Antiga.


     Como transformar assuntos tão antigos, como da cultura milenar da China, em algo interessante, atual e atrativo para nossas crianças? Pelo menos para essa pergunta tão perturbante ente os professores de história, o professor e historiador Cledir Giroto parece ter a resposta. "É preciso tornar a busca pelo conhecimento significativo e representativo", comenta o educador.
     Para conhecer um pouco mais sobre a China antiga, os alunos do 6º ano da E. B. M. Padre José Anchieta, a partir de uma seletiva pesquisa na internet, desenvolveram maquetes sobre três grandes construções que contam a história daquele império: "Os guerreiros de Xi'an ou Terracota, a muralha da China e a Cidade Proibida".


Imagens da "Cidade Proibida", "Muralha da China" e "Guerreiros de Xi'an.


A CIDADE PROIBIDA


      A Cidade Proibida se situa no centro da cidade de Beijing. Ela foi construída na Dinastia Ming (1368-1644) e servia como o complexo de palácios imperial na Dinastia Ming e na Dinastia Qing (1644-1911). A construção do complexo começou no ano 1407 e ficou pronta no ano 1420. Durante a história, catorze imperadores da Dinastia Ming e dez da Dinastia Qing moraram lá e no total, eles tinham governado a China por 491 anos. No ano 1924, o último imperador chinês, Pu Yi, saiu da Cidade Proibida. No ano 1925, a cidade foi aberta para o público.
   Para conhecer um pouco mais sobre a "Cidade Proibida", acesse o infográfico abaixo.

Infográfico sobre a Cidade Proibida.
https://www.flickr.com/photos/34323097@N06/5273134480/

Maquete da "Cidade Proibida"  feita pelos alunos do 6º ano.
                               
GUERREIROS DE XI'AN 

    O maravilhoso tesouro foi aberto ao público em 1979, após a descoberta por agricultores chineses, quando escavavam um poço. O complexo encontra-se espalhado por uma área de 20.000 metros quadrados. 
     Foram descobertos mais de 7 mil guerreiros, 500 cavalos de terracota e uma centena de carros de combate de madeira. As figuras encontram-se em rígida formação militar, e grande parte das esculturas foi moldada a mão pelos artesões. Esse impressionante exército foi colocado a 1.500 metros a leste da tumba de Qin Shi Huang para acompanhar e proteger o imperador após a sua morte. Mais de 700 mil homens teriam trabalhado durante 36 anos para finalizar o complexo.
     Para conhecer um pouco mais sobre este tesouro acesse o link abaixo.

http://www.youtube.com/watch?v=YTFdRkshBXk



Réplicas dos "Guerreiros de Xi'an",
 confeccionadas com massinha de modelar.




MURALHA DA CHINA

     A Muralha da China, também conhecida como a Grande Muralha, foi construída durante a época Imperial da História da China com objetivos militares (proteger a China contra a invasão dos povos do Norte).
  A construção começou por volta do ano 220 a.C, terminando apenas no século XV, durante a Dinastia Ming.  Esta construção possui cerca de 7 mil quilômetros de extensão, sendo a maior do mundo.
  A construção envolveu centenas de milhares de trabalhadores, soldados e camponeses e aproveitou outras muralhas antigas e estruturas militares (torres).
      A muralha não é uniforme, sendo composta de torres de vigilância, fortes e portas. Embora algumas pessoas afirmem que ela é a única construção possível de ser visualizada da Lua, esta informação não é comprovada. Na década de 1980 foi transformada no símbolo da China.


Maquetes de representação da "Muralha da China".




     Para o professor Cledir Giroto, o desenvolvimento do estudo de fatos históricos a partir da confecção de maquetes foi muito gratificante, pois os alunos conseguiram abstrair e ter o domínio visual de todo o conjunto espacial que os temas estavam sugerindo. "Foi uma experiência produtiva. Por ser tridimensional favoreceu a relação entre o que é observado na maquete e os conhecimentos buscado na pesquisa feita na internet", comenta Cledir.
     Diante do desenvolvimento do trabalho, o professor afirma que pode constatar que o processo de ensino e de aprendizagem tornou-se mais acessível e atrativo a todos. O trabalho em equipe e a responsabilidade em trabalhar em grupo é destacado como ponto positivo pelo professor. "Além de se estar trabalhando os temas e os conteúdos relacionados a China Antiga, com certeza  na hora das apresentações das maquetes, foi possível aprimorar e desenvolver a oralidade dos educandos. E mais, os alunos foram estimulados a criatividade e  a aguçar o saber sobre história antiga", finaliza o professor.
      

    




terça-feira, 28 de outubro de 2014

É CAMPEÃO!!!

NOVO CAMPEÃO DO
 CONCURSO DE ORATÓRIA

Oséias Matiasso, aluno do 8º ano
Campeão Municipal do Concurso de Oratória 2014.

  Numa disputa acirrada por discursos planejados e estruturados dentro de um tempo de quatro minutos, aconteceu no sábado (25) a final do Projeto Oratória nas Escolas 2014.
    A última fase da competição aconteceu no Teatro do Centro de Eventos Plínio Arlindo de Nes, e contou com a presença de alunos, pais e professores da Rede Municipal de Ensino de Chapecó.
   O tema neste ano foi "Como eu combato a corrupção?". Com o apoio dos professores que coordenaram o projeto nas escolas, os 10 classificados na semi-final municipal apresentaram para uma plateia animada e apreensiva, discurso inflamados com ideias para combater um dos grandes problemas do país.  
   Obedecendo a critérios de apresentação, conteúdo, voz, fala e temática, o grande vencedor foi Oséias Matiasso, da Escola Básica Municipal Padre José Anchieta. 
   A conquista da fase municipal, dá  ao aluno Oséias o direito e a responsabilidade de representar a escola e o município de Chapecó no próximo ano na etapa regional, na qual sairá o finalista da região Sul para a grande final nacional do Concurso de Oratória.


Final da etapa na escola.
   O Projeto Oratória nas Escolas é desenvolvido pela JCI Chapecó, com o apoio da Secretaria Municipal de Educação. Ao todo, mais de 1500 alunos das 21 escolas municipais de Chapecó  foram envolvidas pelo projeto.
   Segundo Luiza Utizig, membra da JCI e coordenadora  do projeto este ano, o concurso é uma das formas de trazer novas reflexões para multiplicar o combate à corrupção. "O sentimento é de uma missão cumprida. Esse projeto é um meio para oferecer à sociedade o melhor que cada jovem tem", comenta Luiza.
  Para o grande campeão, tão importante quanto a premiação (1 bolsa integral Ensino superior -UCEFF Faculdades; 1 curso completo de Inglês - CEBRAC; 1 poupança - SICOOB; 1 carteira de habilitação - Auto Escola América e 1 bolsa no programa menor aprendiz - RBS TV), foi o crescimento pessoal."Para mim foi muito bom e emocionante ganhar o concurso de oratória, pois me ajudou a acreditar em mim mesmo e desenvolver minha fala. Espero ir em frente e buscar aprender ainda mais e me preparar para a etapa estadual", finaliza Oséias com um grande sorriso estampado no rosto.
 
   Assista a reportagem sobre a conquista da E.B.M Padre José Anchieta, vinculada na RBS TV acessando o vídeo a seguir:

CLICK AQUI PARA VER O VÍDEO



PARABÉNS OSÉIAS!!!

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

DIA DOS PROFESSORES

     

HOMENAGEM AOS MESTRES COM CARINHO

"OS PROFESSORES ENSINAM OS HOMENS E OS HOMENS TRANSFORMAM O MUNDO..."

Nossa gratidão àqueles que fazem do magistério um ideal, mesclando a arte
de ensinar, com o dom da convivência.

     "A minha escola é assim.... Tem flores, aromas e cores. Tem poesia! Tem crianças, adolescentes e adultos. Tem gente! Tem gente aprendendo e gente ensinando. Tem algazarra. É um lugar de convivência onde aprendemos com as diferenças e com os diferentes a respeitar e conviver. Onde argumentamos e respondemos. De idas e vindas. E o tempo vai passando...
   Optei por ser uma professora de escola pública e foi aqui que me encontrei para viver uma longa cainhada marcando história".
                       (Professora Fátima Menoncin)
    
"SE EU NÃO FOSSE IMPERADOR, DESEJARIA SER PROFESSOR.
NÃO CONHEÇO MISSÃO MAIS NOBRE QUE A DE DIRIGIR AS INTELIGÊNCIAS
JOVENS E PREPARAR OS HOMENS DO FUTURO"

          (Imperador Japonês Hiroíto)


   Foi em um clima festivo e de agradecimento que os alunos da E.B.M. Padre José Anchieta homenagearam seus mestres. 
   A iniciativa de homenagear os professores da escola partiu dos próprios alunos. "Confesso que fiquei surpresa quando procurada por um grupo de alunos que vieram até mim pedir ajuda para organizar a homenagem", comenta Claudia Amanda Morozo, gestora da escola.
   No turno matutino, a homenagem foi organizada pelos alunos da 8ª série e contou com a coordenação da professora Margarete Rodriguês. Já as homenagens do turno vespertino contou com a colaboração da Cordenadora Verginea Andreoni Martin e participaram todos os alunos da 1º ao 4º ano.
    
Professora Margarete apresentou "Um conto Chinês".

Alunos das 1ª séries das professoras Beloni, Luciane e Inez
apresentaram o Jogral "O que é ser professor"



Alunos das 2ª séries das professoras Méri, Susana e Marli
declamaram a  Poesia "Ser professor".

Alunos da 3ª série do professor Geraldo
cantaram a Música "Pertinho de mim".
Alunos das 3ª séries das professoras Itália e Lusiane
recitaram  o Poema "Para minha professora".


Para lembrar que o bom humor faz parte do
dia-a-dia dos professores,  os alunos das 4ª séries
do professor Aquelino e das professoras
Damaris e Solange, realizaram a contação
 de "belas piada" que ocorrem nas salas de aulas.
Aluna Ana Sofia da turma 31 cantou a música
"Bom dia aos Professores".
Alunos das 4ª séries do professor Aquelino e
das professoras Damaris e Solange
fizeram a leitura da "Carta aos Professores".
Alunos da 8ª série homenageando a professora
Cleizer, regente da turma.
Festa de Confraternização dos professores. 



"Melhor professor nem sempre é o de mais saber e, sim, aquele que, modesto, tem a faculdade de manter o respeito e a disciplina da classe"


sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Bumba-meu- boi

DANÇA POPULAR BRASILEIRA

"Levanta boi
levanta para brincar.
Levanta boi
levanta para dançar.
É o boi, é o boi, é o boi.
É o boi do Ceará"


IMAGEM DE UMA OBRA BUMBA-MEU-BOI DE CARLOS SCLIAR.
Gravura que mostra a personagem principal da dança: uma pessoa
vestida de boi dançando, acompanhada de música.

     Com o objetivo de trabalhar uma dança muito popular no Brasil, a professora de Arte, Simone Vettorello desenvolveu com os alunos do 3º ano, o projeto 'Bumba-meu-boi'. "É a celebração de uma festa muito alegre. As pessoas contam a história do boi e representam cantado e dançando", comenta a professora.


Réplica da obra de Carlos Scliar, reproduzida pelos alunos.

    O artista brasileiro escolhida para desenvolver o projeto foi o gaúcho Carlos Scliar, por ter toda sua obra voltada para a cultura popular, na qual retrata o Brasil.
    
METODOLOGIA

   A partir de uma pesquisa das informações previa da obra e do autor feita pela professora, os alunos tomaram conhecimento da história do "Bumba-meu-boi".'Com a apresentação no data show, juntamente com os vídeos que contam a história do Bumba-meu-boi, os alunos foram estimulados a observar, interpretar e contextualizar todas as informações que lhes foi fornecido", afirma Simone.

PRIMEIRO MOMENTO:
Foi analisado os detalhes da obra, as flores, o boi. Reparou-se ainda como o artista desenha os pés, a inclinação do homem no centro da imagem. Chamou-se a atenção dos alunos para o movimento no espaço do dançarino fantasiado de boi.

SEGUNDO MOMENTO:
Foi analisado a posição que a figura central ocupa na composição, comparando o tamanho da mesma com as figuras dos músicos, e mais, a variação do tamanho das sombras. 

TERCEIRO MOMENTO:
Após a análise os alunos foram estimulados a recriar a cena em um pequeno pedaço de papel vegetal, usando canetinha para colorir. Esta cena serviu para  ser o "croqui" da produção dos alunos, que ficaram responsáveis por providenciar os materiais a serem utilizados (caixa de ovos, caixa de remédios, tecidos, fitas, botões, lantejoulas, etc.)
   

Para fazer a cabeça do boi foi utilizada caixa de ovos.

                 O corpo foi construído com caixas de remédios.

Para revestir o corpo, foi utilizado retalhos de  tecido.

      Para a professora Simone Vettorello, a realização dessa projeto foi maravilhoso. "Trabalhar essa temática, foi algo fascinante, pois já na primeira aula, enquanto estavam cortando e pintando a cabeça do Boi-Bumba, os alunos sem se dar conta estavam cantando a música ouvida no vídeo. Na aula seguinte, todos vieram animados e soltaram toda as suas criatividades para construir o corpo do boi", conclui a professora.




quinta-feira, 2 de outubro de 2014

DISCURSO NA PONTA DA LÍNGUA



FINAL ORATÓRIA NAS ESCOLAS 2014

     Tomado de muita emoção e expectativa, aconteceu na manhã da última terça-feira (30/09/2014) a grande final da "ORATÓRIA NAS ESCOLAS 2014". 
   Com o tema "Como eu combato a corrupção", nossos alunos desenvolveram um discurso que deveria ter no mínimo 2 e no máximo 4 minutos. 
    Como o projeto é desenvolvida pela JCI Chapecó em parceria com as escolas, a E.B.M Padre José Anchieta teve a importante contribuição das madrinhas: a empresaria  Lianara Maseto Terrible  e  a advogada Maria Tereza Zandavali Lima, membras da entidade.


A madrinha Maria Tereza com os alunos participantes do concurso.


A madrinha Lianara Mazeto Terrible,
mestre de cerimônia.

      O projeto foi apresentado  a todas às escolas da Rede Municipal de Chapecó, no dia 15 de julho. Nos meses de Agosto e Setembro foi realizado a capacitação dos professores responsáveis em trabalhar com a oratória em sala de aula e foi desenvolvidas várias atividades de sensibilização para motivar a participação dos alunos das 7ª e 8ª séries. Entre as atividades de conscientização destaca-se a visita do Promotor Justiça, Guilherme Morelli que palestrou sobre o tema  Corrupção.
   A organização dos discursos e a preparação dos oradores, contou com a importante colaboração dos professores da área de Língua Portuguesa: Gilvanio Pedroso, Eliane de Oliveira e Vania Maria Rotavo.
  
A seguir destaca-se os 10 melhores oradores da Escola no concurso deste ano

      
10º LUGAR
Eduarda  Mineiro Alves, aluna da turma 71.

9º LUGAR
José Eduardo Pelegrino, aluno da turma 73.


8º LUGAR
Kelvin Jackson da Silva de Andrade, aluno da turma 72.

7º LUGAR
Juliana Debus, aluna da turma 72.

6º LUGAR
Tauana Ester Saldanha, aluna da turma 81.

5º LUGAR
Francisco de Camargo Neto, aluno da turma 81
.

4º LUGAR
Milena Maroli,  aluna da turma 81.
3º LUGAR
Stefany da Rosa Velasques, aluna da turma 81.


2º LUGAR
Daniele Gonçalves, aluna da turma 81.
CAMPEÃO
Oséias Matiasso, aluno da turma 81.

A seleta mesa de jurados teve trabalho
 para escolher o vencedor.

Além de medalha e  troféu, o campeão da etapa realizada na escola,
 recebeu das madrinhas certificado, brindes dos patrocinadores
 e uma caderneta de poupança.


QUE VENHA A FASE MUNICIPAL!!!